November 21, 2014

CAMPANHA DE SÓCIOS CORRESPONDENTES - SPORTING CLUBE DE MACAU


Caros Sportinguistas,

Por deliberação unânime da nossa Assembleia Geral, estamos aptos para desenvolvermos uma política de Sócios Correspondentes. Seja nosso Sócio Correspondente por uma quota anual de apenas 25 Euros.
E receba um cartão virtual com a sua fotografia. Mande-nos a sua foto.
Cada sócio estará futuramente numa galeria de sócios correspondentes.
Para tal, dirija-se    a    um    balcão    da    Caixa    Geral    de    Depósitos    ou    então    adira    à    Caixa online e poderá fazer através da internet, o que aconselhamos porque é fácil, é só seguir os passos que eles indicam e é cómodo, porque não têm que se deslocar ao banco. Só paga 25 Euros e as despesas de transferência devem ser deduzidas desse valor. Guarde o recibo digital!

Eis os nossos dados. Para Macau não é preciso NIB nem IBAN. Basta seguir os dados que lhe fornecemos.

Banco: Banco Nacional Ultramarino
Morada do Banco: Av. Almeida Ribeiro, No.22 - Macau
Beneficiário: Sporting Clube de Macau
Conta Número: 9008335911
Código Swift: BNULMOMX
Feito o pagamento e guardado o recibo, não se esqueça de o mandar juntamente com uma fotografia para o:
sportingmacau@gmail.com

Prepararemos   o   seu   cartão   digital   por ordem de chegada. Será oportunamente colocado num site com a sua fotografia. 



Seja  Sportinguista  também  em  Macau  e participe no nosso Facebook seguindo o nosso campeonato. Ao ser sócio correspondente de uma Filial com 88 Anos, está a participar no reforço do mundo Sporting no mundo.
Saudações Leoninas!
Viva o Sporting Clube de Portugal
Viva o Sporting Clube de Macau.

CAMPANHA DE SÓCIOS CORRESPONDENTES - SPORTING DE MACAU


Caros Sportinguistas,
Por deliberação unânime da nossa Assembleia Geral, estamos aptos para desenvolvermos uma política de Sócios Correspondentes. Seja nosso Sócio Correspondente por uma quota anual de apenas 25 Euros.
E receba um cartão virtual com a sua fotografia. Mande-nos a sua foto.
Cada sócio estará futuramente numa galeria de sócios correspondentes.
Para tal, dirija-se    a    um    balcão    da    Caixa    Geral    de    Depósitos    ou    então    adira    à    Caixa online e poderá fazer através da internet, o que aconselhamos porque é fácil, é só seguir os passos que eles indicam e é cómodo, porque não têm que se deslocar ao banco.
Só paga 25 Euros e as despesas de transferência devem ser deduzidas desse valor. Guarde o recibo digital.
Eis os nossos dados. Para Macau não é preciso NIB nem IBAN. Basta seguir os dados que lhe fornecemos.

Banco: Banco Nacional Ultramarino
Morada do Banco: Av. Almeida Ribeiro, No.22 - Macau
Beneficiário: Sporting Clube de Macau
Conta Número: 9008335911
Código Swift: BNULMOMX
Feito o pagamento e guardado o recibo, não se esqueça de o mandar juntamente com uma fotografia para o:
sportingmacau@gmail.com
Prepararemos   o   seu   cartão   digital   por ordem de chegada. Será oportunamente colocado num site com a sua fotografia. 



Seja  Sportinguista  também  em  Macau  e participe no nosso Facebook seguindo o nosso campeonato. Ao ser sócio correspondente de uma Filial com 88 Anos, está a participar no reforço do mundo Sporting no mundo.
Saudações Leoninas!
Viva o Sporting Clube de Portugal
Viva o Sporting Clube de Macau.

October 31, 2014

PROPOSTAS PARA A MELHORIA DA ORGANIZAÇÃO DO FUTEBOL EM MACAU


O Sporting Clube de Macau tem, desde que retomou actividade, em 2009, procurado contribuír para a requalificação do futebol em Macau, sempre cooperando com a Associação de Futebol de Macau.
Foi assim que se conseguiu que os jogos da Taça tivessem 90 minutos e que o campeonato da Segunda Divisão tivesse duas voltas.
Assim, e dentro do mesmo espírito construtivo, apresentamos as seguintes propostas:

1. Total separação entre o futebol de sete e o futebol de onze, sem obrigatoriedade de um clube ou equipa jogar nas duas modalidades.
2. Em qualquer das modalidades os campeonatos devem ser sempre a duas voltas.
3. Entendemos que o futebol de onze requer uma redução de três para duas divisões. A primeira divisão e a segunda divisão.
3.1 Passaria a primeira divisão a acolher a primeira metada da segunda divisão e a terceira divisão juntar-se-ia ao remanescente da segunda divisão. 

3.2 Embora independente, ficaria a bolinha, a funcionar como divisão de acolhimento das descidas e promoção para o futebol de onze.
4. Assim, ocorreria a libertação de um campo de futebol, permitindo às equipas ter espaços de treino enquanto se devolveria à R.A.E.M. um futebol à sua escala.
5. São estas, medidas de gestão de tempos, de sinergias, e de gestão de espaços. Não sendo impeditivo que qualquer clube ou equipa tenha uma equipa a jogar a bolinha e outra a jogar o futebol de onze, o que se afigura fundamental é que se recorram a mais  árbitros das regiões vizinhas, porque os campeonatos deveriam começar em Outubro, considerando o clima de Macau.

Importa que  todos os actos dos campeonatos tenham total transparência, nomeadamente:

6. Que seja feito o sorteio para os campeonatos com indicação de todo o calendário desportivo, independentemente de eventual alteração das datas. Os clubes e equipas devem saber o calendário completo, da primeira e segunda voltas, desde antes do início da competição.

7. A bem da transparência total, é imperativo que se proceda ao sorteio público dos árbitros para todos os jogos, não podendo haver mudanças súbitas senão devidamente justificadas e consultados os representantes dos clubes afectados.

8. Do mesmo modo deve ser recomendado que os juízes de linha cumpram também o seu dever e competência de fiscalizarem o comportamento dos "bancos" das equipas em jogo, para que tudo se passe dentro do maior ambiente desportivo e de fair play.

Estes pontos parecem ao Sporting Clube de Macau inquestionáveis para a requalificação do futebol em Macau. 
O Sporting Clube de Macau espera sinceramente que esta contribuição construtiva, seja tida em conta pela Associação de Futebol de Macau.

Com as nossas Saudações Leoninas.

September 26, 2014

OITENTA E OITO ANOS


Caros consócios e adeptos. A Filial de Macau do Sporting Clube de Portugal foi fundada no dia 25 de Setembro no já distante ano de 1926. Independentemente da rica história que está ainda por compilar, e que deve merecer todo o nosso carinho, vivemos uma nova reencarnação, cientes de que é preciso assegurar uma forma de tornar perene esta instituição. Estamos bem cientes disso e de como os generosos apoios que nos são dados não conseguem acompanhar a inflação e outras situações, razão porque a contribuição dos sócios com as suas quotas é valiosíssima.
A direcção irá considerar a criação de sócios correspondentes, por um valor simbólico, que permitirá que tenhamos muitos mais que os mais de cinco mil sócios que tivemos antes de nos terem boicotado o primeiro Facebook. É o que sucede com a baixeza e o medo.
Existimos ainda, apesar de outras vontades. Existimos com a máxima dignidade na parte luminosa de um teatrinho de sombras e de robertos.
Nós acreditamos em nós. Apenas e sobretudo em nós. O nosso discurso é simples: temos de nos aperfeiçoar pelo caminho mais duro, sem atalhos. Deixamos isso para os outros.
Nós temos uma história a defender, e o Sporting conta com todos os seus sócios, adeptos e jogadores para, juntos, sermos um sólido torreão. Unidos, fortes, com a melhor claque de Macau.
Quando uma Filial comemora um Aniversário, é todo o SPORTING que o comemora. Saudações Leoninas!!!
VIVA O SCP! VIVA O SCM!

 

September 14, 2014

O DESPORTO QUE DEVERIAMOS TER

O IDEAL DESPORTIVO

              Já dissemos bastas vezes que não faz qualquer sentido - muito menos ainda a uma volta -  um campeonato de futebol de sete, a bolinha, que se resume a sete jogos, sendo que na primeira divisão é obrigatória a participação.
            Em tempos idos dizia-se que o desporto era mens sana in corpore cano, mente sã em corpo são. Hoje, nem o ideal olímpico resistiu. Porém, não invalida que numa cidadezinha do sul da China, numa Região Administrativa Especial, num campeonato amador, um clube com quase 88 anos se recuse terminantemente a utilizar meios e valores outros que não os da lealdade, honestidade e fair play para participar e dar a sua contribuição ao futebol local.
            Estes princípios, que desde sempre nos impusemos prosseguir no Sporting Clube de Macau, são incompatíveis com outros modos de olhar o futebol. O Sporting Clube de Macau olha apenas para si, porque sabe que é no seu seio que residem todas as potencialidades, toda a energia positiva, todo o querer e toda a força, lealdade que os seus jogadores partilham entre si e com a equipa técnica e direcção, e o demonstram briosamente em campo.
            Para o Sporting Clube de Macau, não existe valor em vencer à custa de arbitrariedades, de compadrios, de benefícios. Para o Sporting Clube de Macau a verdade desportiva ainda vale, seja a nosso favor seja contra. Mas o que vale é a verdade desportiva e não o seu desvirtuamento.
            Os jogadores do Sporting Clube de Macau jogam lealmente. Jogadores e dirigentes não insultam os adversários, não provocam, nem gozam de impunidade em faltas que por vezes nem cometem.
            O Sporting Clube de Macau orgulha-se dessa postura e, também, do número de adeptos e apoiantes que vão aderindo, porque sabem que dizemos a verdade, e que não recorremos a métodos ou relações mais ou menos obscuras.
            Sabemos que por aí não iremos. Sabemos por onde vamos. Sabemos que o nosso caminho é duro difícil e áspero, como todos os caminhos rectos. Mas é assim que somos e apenas nos valeremos dos nossos méritos.
            Também por isso contamos com o apoio dos nossos sócios, adeptos, em cada jogo, e em todos os actos. Porque são as armas que temos. E será com estas armas que iremos travar as batalhas que temos pela frente.
            Temos valores, como respeitar os adversários, respeitar-nos a nós próprios, sabermos ganhar e sabermos perder. Estes são princípios básicos e elementares que nos tornam numa equipa que se vale apenas de si e por si mesma.
            Saudações Leoninas

September 3, 2014

UM SENTIDO DE FUTURO NO PRESENTE


O SPORTING CLUBE DE MACAU e o FC OSAKA assinaram ontem uma parceria cuja principal incidência reside na permuta de jogadores entre os dois clubes, isto é:
1- Todos os jogadores de Macau que quiserem seguir para o Japão, têm no Sporting Clube de Macau a Porta de Entrada,  com particular ênfase nos jogadores locais mas sem fechar a porta aos demais. O importante é a qualidade. Sempre foi e será a grande condição de qualquer jogador de futebol.
2 - Todos os jogadores japoneses que quiserem vir treinar ou jogar no Sporting Clube de Macau, fá-lo-ão através do FC OSAKA. Sendo o Japão a primeira potência asiática de futebol, o Sporting Clube de Macau poderá eventualmente contar com jogadores nipónicos a médio prazo. O que contará sempre é a qualidade.

3 - Esta Parceria pode ter outras consequências importantes: Um rasgar de fronteiras, uma abertura de mentalidades, uma compreensão de todas as partes que compõem o futebol, que há que esperar apenas a qualidade, seja nos jogadores, treinadores, árbitragem, organização. 

4 - O desenvolvimento do Futebol requer sempre que todos se abram ao mundo exterior, lição que urge ser rapidamente aprendida por todas as entidades responsáveis.

5 - Isto significa, mais uma vez, a necessidade de dotar Macau de verdadeiras infraestruturas capazes de receber visitas de equipas do exterior. Isso quer dizer que é fundamental que os estádios de Macau estejam disponíveis para todas as equipas treinarem. É preciso que se façam as modificações necessárias, porquanto o prestígio não vem das infraestruturas. O prestígio vem das equipas, das selecções, e de todos os instrumentos capazes de revolucionar o futebol em Macau.

6 - Pode ser o fim de uma era e o começo de outra, de maior abertura ao desenvolvimento. O Sporting Clube de Macau está sempre aberto ao diálogo franco e construtivo.

Saudações Leoninas.

August 28, 2014

EXIGÊNCIA, COMPETÊNCIA E TRANSPARÊNCIA




O Sporting Clube de Macau tem-se mostrado, ao longo dos anos, sempre avesso à promiscuidade entre competições, nomeadamente à obrigatoriedade de jogar o futebol de sete para depois jogar o futebol de onze.

Já aqui foi dito, em outros posts, que era imperativo a separação dos árbitros da A.F.M., porquanto como está, nada é claro.

Do mesmo modo que sabemos ganhar, também sabemos perder. Não foram duas derrotas sucessivas que nos levam a lembrar as uvas de La Fontainne.
Vitória do FCPorto por 2-1 após golo de empate marcado por Tavares Jorge.
Jogo muito equilibrado com domínio claro do Sporting na 1a. parte. Na segunda parte também muito equilibrado. Mayckol Sabino faz um golo para o FCPorto. Segue-se o empate por um rapidíssimo contra-ataque com Tavares Jorge e Bruno Brito. Após (mais de) 10 minutos de paragem por uma lesão de um jogador do Porto, repete-se mais tarde outra "lesão" que ajuda a queimar tempo. Mayckol Sabino faz o 2-1. O árbitro não concedeu tempo extra que muita falta fez à justiça do resultado.

Sucede que durante a celebração dos dois golos do F.C. Porto, um dirigente mais entusiasta entrou no campo a celebrar com os jogadores, ferindo todas as leis do jogo não tendo sequer sido admoestado.
Do mesmo modo relevem-se os mais de 10 minutos de paragem de jogo pelas lesões ocorridas com jogadores adversárias narradas no parágrafo anterior.

Terminado o jogo, dirigi-me à cabina dos árbitros, para apresentar o meu protesto contra a permissão da entrada em campo de um dirigente para celebrar com os jogadores, sem qualquer penalização e, simultaneamente, para dizer que não tinha feito nenhum desconto aos 10 minutos perdidos com mazelas no campo.
A resposta do árbitro Vani, foi que "não podia estar ali, e que se tivesse alguma coisa a dizer que falasse com a Associação de Futebol de Macau". Edificante e esclarecedor no mínimo.

Desta brilhante resposta se conclui que os árbitros em Macau só apitam. Não falam com dirigentes. Mandam-nos falar com uma entidade da qual deveriam estar completamente independentes. Mas, pelo que esta indicação do árbitro Vani revela, ele é um mero empregado da Associação de Futebol de Macau. Ficámos definitivamente esclarecidos que em Macau não há um Corpo Independente de Árbitros !